sábado, 25 de junho de 2016

Silêncio


Gritar, gritar, e nunca ser ouvido
Entoar cânticos que são percebidos por ninguém
Testemunhos que se perdem na atmosfera...
Ninguém ouve seus clamores
Tampouco suas dores
Sofrimento em silêncio perante o temor da indiferença
Sua alma em desespero, querendo apenas ser ouvida
Mas nesse mundo cada um está em sua própria caverna
Procurando alguém que escute os ecos de seus gritos
Estou cercado de cegos e surdos
E hoje me comprazo em ser apenas mais um mudo
Procurando algum lugar seguro onde possa enterrar minha voz

Pois o mundo não precisa – ou não quer precisar – dos meus ruídos no éter.

14/03/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário